CidadeÃO

Favelas!

Da onde surgiu essa minha fissura? Vou tentar explicar a mim mesma:

Era um vez…

Eu sempre fui muiito mimada. Não que isso me faça ser uma guria metida, nojenta e aja como uma menininha mimadinha. Mas eu sei que eu fui e que eu sou. Estudei em escola particular a maior parte da minha vida, mas nos meus dois últimos anos de colégio fui para a escola pública, já que o ensino particular está desprezível aonde eu moro. Pois bem, esse foi um fato muito importante para mim. Estudei com muitas pessoas. A maioria como eu, mas eu conheci pessoas BEM diferentes de mim, que tinham uma vida que para mim era impensável. Percebi que existia mais mundo além do centrinho fino da onde eu morava, e eventualmente esse outro lado do mundo se tornou extremamente tangível para mim. Sim, na vida as coisas precisam ser VIVENCIADAS (A arte tem que ser viviiida – Momento ANNE MARIE SUMNER mode off). Mas é minha gente, você nunca vai entender se não vivenciar!

Então, com isso aquele lado pseudo-revolucionário começa a aflorar… e aí acabei percebendo que o PÚBLICO não é só para quem não pode pagar… e outra, as coisas não devem ser “Ahhh, mas você estuda numa escola muito boa em relação às outras escolas públicas…” Meu, que PORRA É ESSA? Então quer dizer, “ah, dane-se se tudo podia ser melhor, a gente ainda não está na merda”. Entendem? Ok, não me expressei da melhor maneira, mas acho que deu para sacar. As coisas DEVEM ser melhores, não porque existe lugar melhor, nem porque existe lugar pior e sim porque PORRA EU PAGO! TODO MUNDO PAGA! E OUTRA, faz parte do contrato social que, em teoria, todos nós fazemos quando elegemos algum líder político (aaaah isso foi muito hyco, phyno e inteligente! ) mas é verdade meu! (caraca, começou a tocar Tribalistas e eu atoron muitcho! Me distraí demais hahaha me perdi!)Muito bem, continuando… Mas tia, o que isso tem a ver com você gostar de favelas? Calma, deixe-me terminar!!!

Acho que quando você depende do poder público você tem seu lado revolts mais vivo! Quando a gente paga tudo, a vida fica um pouco mascarada…

Depois que eu terminei o colégio, fui para uma faculdade paga… mas isso ficou ainda na minha cabeça, afinal foram DOOOIS anos. (Por isso que em universidades públicas é greve toda hora) Você deveria também lutar por um país melhor horas… o Estado pagando seu estudo ou não meu… você não é cidadão? Éééé, pois é! Mas a luta não é algo do tipo, “meu, vou virar guerrilheiro” ou “vou fazer greve em tudo que é canto”, não não e não! Não é isso que eu acredito! A minha luta é simplesmente fazer o que eu acho que posso fazer, quando eu posso fazer. No meu caso, escolhi prestar mais atenção à habitação social… afinal que tipo de vida é você não ter nem para onde voltar depois de um dia de trabalho? Onde fica a sua dignidade se você não tem nem onde dormir? Se alguém conhecer o tal do Le Corbusier, ele também fez tooooodo o movimento moderno aceitar que a HABITAÇÃO é o foco! Isso é digno ;D

Muitcho bem… acho que não importa onde você estude… você é cidadão, faça o que acha mais justo fazer… mas não feche os olhos para seu país… por mais que você saiba que todo o seu esforço  não vai ser suficiente para mudar alguma coisa por aqui.

Eu sou estudante de arquitetura e “considerando o país capitalista selvagem em que vivemos, tenho todo o direito de acreditar em minhas utopias” – Artigas *______________________________________________________________*

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s